Blog

fazer reserva financeira

Aprenda 6 estratégias para fazer reserva financeira

por URBS Imobiliária - Publicado em 20 de abril de 2020
fazer reserva financeira
Tempo de leitura 5 min

Você entende a importância de fazer reserva financeira? No dia a dia, podem surgir situações em que ter dinheiro guardado é fundamental, como em caso de emergências familiares, gastos imprevistos ou até oportunidades para investir e obter ótimos rendimentos.

Para quem tem objetivos como adquirir imóveis, fazer viagens ou outros desejos que tenham um custo alto, essa reserva também é uma prática que ajudará a conquistá-los. Porém, na hora de guardar o dinheiro, muita gente encontra dificuldades para se organizar e conseguir economizar.

Exatamente por isso, preparamos este conteúdo explicando seis estratégias essenciais para você fazer reserva financeira e atingir os seus objetivos. Continue a leitura e aprenda!

1. Organize o orçamento

A criação de uma reserva exige, antes de tudo, uma boa organização dos seus rendimentos e gastos mensais. Dessa forma, você poderá diagnosticar qual é a sua situação e quais medidas devem ser tomadas para conseguir guardar valores desejados.

Para fazer isso, conte com o auxílio de uma planilha ou de aplicativos de organização financeira. A ideia é anotar todos os seus ganhos mensais (fixos e variáveis) e todas as despesas. Separe estas por categorias, indicando o valor de cada conta.

Aqui, o que você deve observar é a sua capacidade de arcar com os custos mensais e, ainda, guardar determinado valor para fazer a reserva. Essa prática deve ser contínua, para que você consiga entender o seu perfil de consumo e quais melhorias podem ser feitas a fim de juntar uma quantia específica.

2. Livre-se das dívidas

O próximo passo é se organizar para quitar as dívidas. Nesse momento, falamos tanto de contas que estejam atrasadas quanto de parcelamentos pendentes, para reduzir as despesas mensais.

Caso tenha despesas em atraso, é importante quitá-las para que os juros parem de correr e você não corra o risco de ser alvo de ações judiciais de cobrança, pois elas também geram custas processuais, além de honorários advocatícios.

Ao procurar o credor, é bastante comum conseguir negociar condições facilitadas para o pagamento e até alguns descontos. Nos parcelamentos, verifique se existem propostas de desconto para quitação antecipada e, em caso positivo, veja se é possível pagar.

Essa estratégia também deve ser considerada quando for fazer novas compras: dê preferência a pagamentos à vista sempre que for possível conseguir descontos. Deixe os parcelamentos apenas para itens de valor alto que sejam realmente necessários, ou para os casos em que não há desconto.

3. Defina o tamanho da reserva

Sem um objetivo bem definido, provavelmente você terá dificuldades para executar seus planos. Então, é importante saber o tamanho da reserva. Por exemplo, caso a intenção seja a compra de um imóvel, o valor total deve ser equivalente ao preço do bem ou à entrada do financiamento e outras taxas de compra.

Além disso, é preciso ter reservas para diferentes finalidades. Ao mesmo tempo em que você deseja adquirir um bem, também pode ser necessário deixar um dinheiro guardado para eventuais emergências, não é mesmo?

Se esse for o seu caso, não tem problema! Basta determinar os valores de cada reserva desejada. É com base nisso que você conseguirá fazer um planejamento detalhado dessa tarefa, incluindo o dinheiro guardado por mês e o prazo para atingir os valores estipulados.

4. Crie metas de economia

Depois de colocar em prática a estratégia que explicamos no tópico anterior, você deve criar metas de economia. Isso pode ser feito considerando o mês, o trimestre, o semestre etc., a fim de ajudar a manter o foco e acompanhar mais facilmente a sua evolução.

Sabendo a quantia que você quer guardar e estabelecendo um período médio para bater tal número, basta dividir esse valor pela quantidade de meses. Desse modo, terá uma média de quanto é necessário depositar na reserva mensalmente.

Em seguida, crie algumas metas em prazos maiores. Isso aumenta o controle sobre essas conquistas e a sua percepção sobre os valores guardados. Como consequência, ao perceber as pequenas vitórias, você ganhará ânimo para seguir o planejamento.

5. Reveja os seus gastos

Como vimos, fazer reserva financeira demanda ter condições de guardar dinheiro todos os meses. Assim, é necessário rever os gastos e encontrar despesas que possam ser eliminadas ou, ao menos, reduzidas. Uma das principais dicas para isso é avaliar os contratos de serviços.

Veja só: ter um plano de celular, de internet e de TV por assinatura ou serviços de streaming é bastante comum. Ao fazer orçamentos e comparar os pacotes ofertados, é normal se convencer de que os mais completos têm um bom custo-benefício, já que a diferença de valor não é tão alta quando se considera as vantagens incluídas.

Por outro lado, é desperdício de dinheiro se você não usa realmente todos os serviços. Logo, vale a pena reavaliar os contratos vigentes para verificar a possibilidade de mudanças. E não se esqueça de analisar a planilha financeira para identificar outros custos que podem ser reajustados.

6. Invista o valor economizado

Um dos principais erros cometidos ao fazer reserva financeira é deixar o dinheiro sem investir. Tenha em mente o seguinte: com a inflação e os reajustes constantes nos preços de produtos ou serviços, quando os valores ficam parados, sem rendimentos, eles são desvalorizados e você perde poder de compra.

Portanto, é fundamental procurar alternativas para investir o dinheiro e garantir que, no mínimo, acompanhe a inflação e mantenha o seu valor. Para isso, existem investimentos como os de renda fixa, que incluem:

  • Tesouro Direto;
  • Certificado de Depósito Bancário (CBD);
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA).

Mas é importante diversificar os investimentos, então vale a pena avaliar a possibilidade de aumentar o patrimônio e investir em imóveis. O mercado imobiliário conta com opções atrativas para os diversos tipos de investidores, pois é uma alternativa segura que permite ganhos com aluguel e revenda.

Agora que você conhece as principais estratégias para fazer reserva financeira e garantir bons rendimentos, comece a se organizar. Além disso, fique de olho nas opções do mercado imobiliário para encontrar as melhores oportunidades para investir.

Se você quer aprofundar os seus conhecimentos sobre investimento, veja como saber se um ativo imobiliário está realmente valorizando!


Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Categorias: Dicas