Mercado e Investimentos

Entenda quais são as tendências do mercado imobiliário em 2019

janeiro 10, 2019
mercado imobiliário
Tempo de leitura 6 min

Há alguns anos, o mercado imobiliário de boa parte dos países desenvolvidos passou por uma crise complicada. Aos poucos, as consequências também chegaram por aqui e afetaram o cenário nacional de maneira preocupante. Porém, mesmo diante de tantos desafios, a fase ruim começou a se dissipar em 2017 e a expectativa é que ela tenha uma melhora cada vez maior.

O ano de 2019 já é visto como um período de intensa recuperação para o setor. Algumas mudanças relacionadas a créditos e taxas são as principais responsáveis por essa retomada tão importante e traça caminhos proveitosos para boas negociações. A próxima etapa é vista como sinônimo de expansão do comércio, novas soluções e, finalmente, estabilidade.

Você deseja saber um pouco mais a respeito das tendências responsáveis por esse futuro promissor? Continue a leitura deste artigo, informe-se a respeito de cada uma delas e alinhe suas expectativas para iniciar essa nova etapa.

Novo ciclo de crescimento é esperado para 2019

A partir de 2019, um novo ciclo de crescimento do mercado imobiliário pode ser iniciado. É provável que muitas mudanças se solidifiquem no setor nacional, pois se espera que a taxa de juros diminua significativamente e que a inflação finalmente se mantenha sob controle.

Esses dois fatores são os principais responsáveis por impulsionar o desenvolvimento esperado, desde que se mantenham estáveis por todo o período.

Contudo, é importante frisar que a transformação depende do equilíbrio das contas públicas. Para tanto, a Reforma da Previdência precisa acontecer para que a tendência se estruture no cenário de maneira mais assertiva. Ainda que mais comedida a princípio, ela será efetivamente a porta de entrada para um momento muito mais próspero, repleto de bons resultados, tanto para quem vende quanto para quem compra.

Vendas e lançamentos continuam em alta

No último ano, vendas e lançamentos de imóveis residenciais apresentaram alta expressiva. Para 2019, as chances de que esse aumento se estabilize, e até mesmo cresça ainda mais, são grandes.

É importante lembrar que as taxas de desemprego e as restrições bancárias para concessão de crédito podem se tornar um empecilho nesse caso, então é bom manter as perspectivas moderadas, para se surpreender apenas com o melhor.

É importante lembrar que esse incentivo positivo acontece porque a maioria das vendas ainda ocorre na planta, ou seja, antes do início das obras. O consumidor está mais confiante, e as incorporadoras também se tornaram mais perceptivas para atraí-lo a seus pontos de vendas, com ações de marketing inteligentes e vantagens que realmente valem a pena.

Com as vendas e lançamentos a todo vapor, o estoque de unidades de imóveis tende a diminuir de forma considerável, um sinal de que o mercado imobiliário responde bem a um novo patamar de demanda, reequilibrando valores de casas e apartamentos, e também favorecendo empresas em uma troca bastante justa.

Infelizmente, esse ponto em específico é variável de região para região. Enquanto algumas áreas demonstram evolução, outras permanecem estagnadas. Com isso, é importante investir em outras tendências para conseguir seguir o crescimento esperado para o setor.

Financiamentos poderão ser renegociados livremente

Outra tendência importante para o mercado imobiliário em 2019 é que financiamentos com recursos de poupança terão possibilidade de negociação livre com mutuários. Atualmente, essa regra torna obrigatório o uso da Taxa Referencial, conhecida como TR, como indexador.

Sendo assim, financiamentos serão associados a índices de inflação, o que permite securitização de ativos e contratação de novos financiamentos. O limite de valor para imóveis financiados com FGTS também está maior, o que contribui também para essa perspectiva.

Por fim, ainda nesse tópico, é preciso citar que imóveis de até 500 mil reais podem aproveitar o fator multiplicador de 1,2 oferecido pelos bancos no volume de crédito da operação. Isso significa que imóveis de valor mais baixo também terão grande saída nesse panorama favorável.

LCI e CRI recebem novas medidas

Uma nova resolução impôs limites a instrumentos para fins de veiculação. As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) não serão mais considerados dentro dos 65% dos recursos de exigibilidade de poupança. Obrigatoriamente, eles precisarão ser substituídos por crédito imobiliário.

Mas os instrumentos em questão têm vencimento inferior a 6 anos e o Banco Central prevê um acréscimo de aproximadamente 80 bilhões no crédito imobiliário. A oferta de crédito já recebe os impactos dessa condição logo no primeiro dia do ano, quando essas regras tão importantes finalmente entram em vigor.

Mercado imobiliário se expressa de maneira diferente em cada região do país

De forma geral, vale lembrar que todas essas mudanças são esperadas em todas as regiões do Brasil. Mas cada uma evolui em um ritmo diferente: enquanto a região Sudeste e a região Nordeste são mais lentas, Sul, Centro-Oeste e Norte provavelmente serão as líderes no crescimento da economia brasileira em 2019.

As condições de crédito são praticamente as mesmas para todas essas localidades, uma vez que as novas medidas visam abrangência no território nacional. O que interfere nessa questão é que ainda existe diferença na taxa de empregos formais e isso é algo que reflete diretamente na retomada do mercado em cada região.

Não podemos nos esquecer de que essas mudanças fazem parte da nossa realidade brasileira. Nos Estados Unidos e na Austrália, por exemplo, as perspectivas são bastante negativas e talvez não seja uma boa alternativa investir no mercado internacional até que a recessão passe.

Há cerca de dez anos, a situação era praticamente a mesma nesses locais e foi aí que a grande crise estourou. Por enquanto, não há gravidade alarmante e resta observar e torcer por uma recuperação rápida, mesmo diante de fatores improváveis.

Como você pode perceber, 2019 promete muitas coisas boas para o mercado imobiliário no Brasil. Portanto, é interessante permanecer atento a oportunidades, acompanhar as últimas notícias e entender melhor as mudanças que acontecem. Assim, você também poderá se beneficiar nesse cenário e fechar negociações bastante proveitosas.

Este artigo foi útil para você? Se sim, não perca nenhuma atualização a respeito do assunto e assine nossa newsletter para receber outras novidades e indicações de artigos como este diretamente em seu e-mail.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário