Arquitetura e Decoração

Conheça 6 tendências de moradias antes de escolher a sua!

maio 23, 2019
Tempo de leitura 7 min

A escolha de um lugar para viver merece atenção. Afinal, sua casa é o reflexo do seu estilo de vida e deve estar de acordo com suas necessidades e desejos. Por isso é importante conhecer as principais tendências de moradia: saber o que eleger como essencial na hora de escolher o seu próximo imóvel, para morar ou para investir.

Sustentabilidade, praticidade, socialização e amenidades são alguns dos itens cada vez mais procurados por quem vive nos grandes centros urbanos. A casa hoje é vista não como um forte para se esconder, mas como um lugar para continuar a se conectar com o mundo à sua volta — com muito conforto e comodidade, é claro.

Apresentamos a seguir os principais conceitos que vêm norteando a construção civil e o que esperar do seu próximo condomínio. Continue a leitura e descubra tudo sobre o assunto!

O que significa morar bem, hoje, nas grandes cidades?

Os conceitos de moradia estão em constante mudança, acompanhando o próprio perfil das pessoas. Antigamente a casa era o local de se fechar para o mundo, o retiro para dormir e compartilhar os momentos íntimos apenas com os mais chegados. Era um universo em miniatura onde fosse possível encontrar de tudo, desde os itens indispensáveis do cotidiano até aqueles usados apenas uma ou duas vezes durante o ano.

Contudo, a consciência do consumo desenfreado foi apresentando suas drásticas consequências no meio ambiente e o questionamento ”para quê tanta coisa?” foi ganhando espaço. Surgiu, então, a economia colaborativa — um sistema de compartilhamento de recursos —, que vem ganhando força e adeptos no país.

A premissa é simplificar sem, no entanto, abrir mão do conforto. Comum em países da Europa e nos Estados Unidos, o melhor aproveitamento do espaço para o bem comum facilita a administração do lar e permite que você se dedique a fazer aquilo que gosta, sem estar preso às rotinas da casa.

Trata-se de moradias menores dentro de condomínios ou vilas com estrutura maior usada por todos os moradores. Em vez de cada um ter uma varanda gourmet, por que não fazer um complexo de espaços de lazer para atender às demandas pontuais de cada um? O mesmo pensamento se aplica às lavanderias, piscinas, home offices e jardins.

Os vizinhos aproveitam para socializar, ampliar o círculo de amizades e até mesmo fazer um pouco de networking nas áreas de convívio. Quando desejar recarregar as baterias, você ainda pode descansar em casa, ou simplesmente deixar tudo pra trás e ir viajar. Simples assim!

Quais as principais tendências de moradia em 2019?

Dentro desses conceitos apresentados, além do compartilhamento, a moradia atual também traz outros aspectos importantes, desde a automação até a sustentabilidade. Confira a seguir as grandes tendências na área.

1. Condomínios sustentáveis

Ser sustentável está deixando de ser uma simples opção ou diferencial para se tornar um estilo de vida. As tecnologias, cada vez mais acessíveis, permitem incluir pequenas modificações dentro e fora de casa que têm grande impacto positivo no meio ambiente.

Seja na escolha de lâmpadas supereconômicas de LED — com temperaturas de cor que se assemelham às antigas de filamento —, ou no uso de painéis solares, existem hoje muitas maneiras mais sustentáveis de viver. Ainda podemos destacar a integração em projetos de compostagem e coleta seletiva e a seleção de móveis de origem certificada ou até mesmo a reutilização de objetos e mobiliário usados, vindos dos antiquários da sua região ou como herança de família

2. Automação residencial

Os avanços tecnológicos são igualmente importantes quando o assunto é modernizar o lar para oferecer maior conforto e praticidade aos habitantes. A “domótica” é o resultado do feliz encontro entre tecnologia da informação, a eletrônica e a eletrotécnica nos ambientes. A partir dela é possível colocar em um mesmo aplicativo ou dispositivo os controles de luz, temperatura, sistemas de entretenimento, segurança e eletrodomésticos.

O uso é tão simples que parece proposta de filmes futuristas: chegar em casa com a banheira já pronta para um relaxante banho, abrir mão dos molhos de chaves e usar a identificação biométrica para destravar portas. E o melhor: acessível e prático para quem assim desejar.

3. Espaços de convívio

Lounges, jardins, praças e parques são algumas das possibilidades de espaços voltados para a convivência comunitária. Nos novos condomínios eles representam a possibilidade de aproveitar o tempo livre fora de casa, mas ainda dentro de um ambiente seguro e familiar.

Nos prédios que abraçam as novas tendências de moradia, o cuidado é especial com o paisagismo, a arquitetura e a decoração, a fim de criar ambientes que transmitam a sensação de bem-estar e possam se integrar à vida dos habitantes como um quintal de casa.

4. Espaços compartilhados

O coliving — que tem como base a economia compartilhada — além de ser um estilo de vida mais ecológico, é mais prático. Lavanderias comuns, por exemplo, diminuem as instalações elétricas e hidráulicas dentro de casa, o estresse para fazer a manutenção das máquinas e representam menos lixo descartado nas eventuais trocas de equipamentos.

Entre as tendências de moradia com áreas compartilhadas também estão os coworkings: escritórios com estrutura completa para serem usados por diversas pessoas. Para quem trabalha em casa é ótimo para criar o hábito de sair para trabalhar (e encontrar outras pessoas, em vez de se isolar). Quem eventualmente leva trabalho para casa, também pode finalizar as pendências num escritório dentro do condomínio sem, com isso, carregar o estresse para dentro do lar.

5. Apartamentos compactos

A vida é corrida e a ideia de ter uma frota de empregados para cuidar da casa vai ficando cada vez menos comum. Por isso, os grandes apartamentos, que se assemelham a mansões, vão dando lugar a soluções menos dispendiosas.

As minicasas e os apartamentos compactos — que nada têm de apertados por conta de um design inteligente —, oferecem aos moradores o que eles precisam para poder viver bem: comodidade dentro de casa e socialização e amenidades do lado de fora.

6. Integração entre natureza e cidade

Viver em uma cidade não implica, necessariamente, em viver apenas cercado pelo concreto. A natureza volta a ser tema importante nas novas construções, seja com a criação de hortas nos condomínios, com a inclusão de paredes verdes, ou ainda com a volta dos espaços gramados nas áreas de lazer.

Dentro de casa as plantas também voltam a ser usadas como parte da decoração, mas agora com tecnologias de vasos autoirrigáveis, que eliminam a preocupação diária com a sua manutenção.

Como fazer a melhor opção de moradia?

A pesquisa será sempre a maior aliada para escolher sua casa ou apartamento. A partir da análise das tendências ficará mais fácil perceber o perfil de imóvel que melhor atenderá às suas demandas e da família.

As construtoras, hoje em dia, estão cada vez mais preocupadas em criar espaços que permitam aos moradores ter a vida que desejam, eliminando as preocupações individuais de manutenção ao integrar ao próprio condomínio espaços de lazer e convivência.

Assim, fica mais fácil ter em casa apenas o essencial, deixando que o mundo — com tantas aventuras e oportunidades — se encarregue do resto. Por isso, esperamos que você possa aproveitar as tendências de moradia para fazer a escolha certa para você.

E, por falar em novidade, que tal conferir o lançamento da URBS, que alia várias das informações apresentadas em nosso artigo em um condomínio lindo, moderno e diferente de tudo que você já viu? Conheça o ID Vida Urbana para saber mais!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário