Blog

como avaliar um investimento

Saiba como avaliar um investimento da melhor forma!

por URBS Imobiliária - Publicado em 21 de fevereiro de 2020
como avaliar um investimento
Tempo de leitura 5 min

Com tantas opções no mercado para investir o dinheiro, fica difícil decidir o que é melhor ou o que mais se adequa aos padrões do investidor. Portanto, saber como avaliar um investimento é uma tarefa que exige certa dedicação.

Fazer aplicações no mercado imobiliário, em soluções tecnológicas ou em inovações diversas gera um desempenho avançado em uma empresa. Assim, escolher a ferramenta correta para verificar as melhores opções traz uma grande eficiência e mostra o retorno que a corporação alcançará. É possível, ainda, antever a partir de qual período o investimento começará a gerar lucro.

Quando um gestor esquece de usar esses instrumentos, muitas vezes deixando-os em segundo plano, acaba dando um grande prejuízo ao empreendimento. Por isso, é importante e fundamental conhecer a fundo esse assunto e ficar atento a qualquer situação que surgir, até porque nenhum empreendimento é igual ao outro.

Gostou do que viu até aqui? Então, continue com a gente, pois agora vamos ensinar o jeito certo de analisar um investimento sem perder dinheiro. Confira!

Payback

Esse modelo é o mais simples para se analisar a possibilidade de investir, definindo o tempo que é preciso para a recuperação do capital inicial gasto. Para fazer seu cálculo é muito simples. Basta somar a quantia dos rendimentos computados durante todos os períodos, buscando o valor inicial que foi investido.

Ele se baseia na premissa básica de que quanto mais a pessoa tiver que aguardar para recuperar o que foi capitalizado, menor será o interesse e as chances de ter prejuízo aumentam consideravelmente.

Por isso, o payback é sempre ajustado à liquidez do investimento e, também, ao risco de dar errado. Por exemplo, se tivermos uma época em que ele for menor que o tempo máximo requerido para a recuperação do capital, será recomendável investir.

Por mais popular que seja entre pessoas sem habilidade em matemática financeira, esse ainda não é o melhor método para se usar analiticamente. O que o torna pouco atrativo é o fato de não levar em conta a oscilação do capital no tempo, deixando de considerar os valores sobre o fluxo de caixa sucessivos.

Dessa forma, o payback desconta somente o período máximo admissível, a partir de quando o dinheiro entra até o retorno do investimento estar equilibrado, sendo escolhido subjetivamente pelo investidor.

Ainda, esse método é feito para ignorar automaticamente todo o retorno que se espera para o projeto, sem considerar aquele fluxo de caixa que ocorre após o capital ser recobrado, ficando reconhecido como incompleto. Existe somente uma maneira de aprimorar a avaliação por essa ferramenta e é tentando levar os saldos futuros a uma quantia mais próxima da realidade atual.

Valor Presente Líquido (VPL)

Uma forma mais arrojada de monitorar os investimentos feitos acontece por meio do cálculo do Valor Presente Líquido (VPL), mais avançado que o método anterior. Tanto a variação do dinheiro no tempo quanto a precificação do capital da empresa são levados em conta, dando uma ideia melhor do cenário que enfrentará.

Para calcular o VPL temos que converter o fluxo de caixa e as entradas dos valores em determinado período para o tempo presente e, assim, tirar a base com relação ao que foi investido inicialmente. Com isso, é acrescentado um desconto em cima dos valores, a famosa Taxa Mínima de Atratividade (TMA), isto é, o mínimo que o investimento tem que ter de retorno para atrair o mercado. Esse período mencionado é considerado a partir da vida útil do projeto.

Para analisar a questão do período, é compreendido como viável o VPL maior que zero, pois garantirá o retorno financeiro para o negócio. Quando ele ficar no zero, o investimento é considerado neutro perante o mercado. E no momento que o VPL apresentar números menores que zero, ele se torna insustentável.

Como todo método tem suas dificuldades e desvantagens, O VPL também apresenta as suas, como:

  • exige conhecimentos específicos do gestor;
  • é definido de maneira absoluta, e não relativa;
  • desconsidera a validade do projeto, dando prioridade para aqueles de maior duração.

Pelo fato de o monitoramento ser baseado em termos absolutos, é impossível adquirir projetos em escalas diferenciadas. Também há o detalhe de que aquelas idealizações as quais tem um valor maior no início tendem a apresentar maior VPL e chamam mais atenção que as de menor valor que às vezes são até melhores e mais consistentes que aquelas.

Taxa Interna de Retorno (TIR)

A conhecida Taxa Interna de Retorno é uma ótima ferramenta para analisar um investimento, pois nivela o VPL a zero, igualando todas as entradas de dinheiro às aplicações. Desse modo, ela acrescenta situações ao Valor Presente Líquido, mostrando os rendimentos reais que ocorrerão dentro de determinado espaço de tempo.

Por essa razão, utilizamos criteriosamente como forma de identificação e de verificação a seguinte fórmula: quando a TIR é maior que a taxa de retorno pretendida, compensa investir; se isso não acontecer, vai gerar prejuízo.

Entre as diversas vantagens apresentadas por esse modelo, a maior delas é a possibilidade de colocar frente a frente investimentos variados, além de incluir nos cálculos o prazo total e suas escalas, demonstrando os resultados em percentual de modo relativo, diferentemente do VPL.

Não é costume calcular a TIR manualmente, pois existem equações altamente complexas que são melhores executadas quando feitas pelo computador. Assim, seus valores são fornecidos por meio de tentativa e erro ou, no caso das máquinas, por algoritmos e softwares.

Os métodos mais importantes para saber como avaliar um investimento foram elencados aqui. Essa é uma das partes mais importantes no processo de tomada de decisões, no entanto, ter o foco somente na rentabilidade sem se preocupar com as demandas individuais pode ser um erro. Portanto, pense em como adequar o melhor método para cada situação que aparecer, pois as demandas nunca se repetem, sendo dinâmicas e aumentando assim, o grau de dificuldade para o gestor lidar com o negócio.

Agora que já sabe tudo sobre como avaliar um investimento da forma correta, que tal aprender mais sobre seus ativos imobiliários e saber se eles estão realmente valorizando? Não deixe de ler!


Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Categorias: Mercado e Investimentos