Mercado e Investimentos

Afinal, quais são os melhores investimentos do mercado atual?

novembro 14, 2018
Tempo de leitura 7 min

Investir em fundos é uma excelente forma para quem deseja aumentar o patrimônio, incrementar a renda mensal, planejar uma aposentadoria, economizar para casos de emergência. No entanto, é preciso entender quais são os melhores investimentos para cada objetivo e tipos de investidor.

Vale lembrar que há modalidades que não exigem uma soma grande de recursos. Sendo assim, qualquer pessoa pode empregar recursos e expandir o próprio capital. Para ajudar você a escolher a aplicação mais adequada ao seu propósito, elaboramos este post, que vai mostrar as principais linhas de aplicações. Acompanhe!

Poupança

É a mais conhecida e tradicional aplicação. Basta procurar qualquer instituição bancária e apresentar RG, CPF e comprovante de residência e a caderneta de poupança é aberta sem custos. Não há cobrança de impostos, e depósitos e saques podem ser feitos a qualquer momento.

O rendimento é mensal, porém, baixo — em torno de 0,5% + TR (Taxa Referencial, calculada pelo Banco Central). Por esse motivo, não é recomendada como forma de obter grande lucratividade. Sendo assim, a poupança é indicada para aqueles que não conseguem poupar grandes quantias mensais.

Logo, quem opta pela poupança geralmente faz isso para acumular o valor necessário para, futuramente, investir em fundos que realmente gerem lucro. Afinal, caso o dinheiro seja simplesmente deixado na conta-corrente, com certeza será gasto.

Títulos públicos

Como o próprio nome sugere, são títulos emitidos pelo Tesouro Direto, que é um programa do Tesouro Nacional em parceria com a BM&FBovespa. O objetivo é captar recursos para o financiamento de atividades públicas. Como estão atrelados ao governo, os títulos públicos têm baixo risco.

É possível realizar investimentos a partir de R$ 30 no Tesouro Direto. Para isso, é preciso se cadastrar no site de uma corretora de valores para comprar os títulos, que podem ter diferentes prazos de vencimento, fluxos de remuneração e tipos de rentabilidade. Há duas modalidades de títulos públicos:

  • títulos prefixados: você sabe exatamente o quanto receberá no vencimento;
  • títulos pós-fixados: o rendimento depende de um indexador variável, que pode ser a taxa básica de juros (Selic) ou a inflação (IPCA).

No próprio site da corretora, é possível acompanhar a aplicação. Para garantir o valor informado na compra do título, é preciso permanecer com os papéis até a data de seu vencimento. Sendo assim, é uma ótima opção de investimento em médio e longo prazo.

Mercado de ações

Uma ação é o menor pedaço de uma empresa que pode ser adquirido. Portanto, ao adquirir ações, o investidor torna-se sócio da companhia e tem sua participação definida pela quantidade de ações em seu nome. Essas partes das empresas são negociadas na Bolsa de Valores e seus preços são determinados pela oferta e demanda.

Então, os acionistas podem ganhar dinheiro ao receber dividendos das empresas (baseados nos lucros da companhia) ou ao vender as ações, quando estas estiverem valorizadas. Esse mercado é considerado bastante sensível, porque uma ação pode ter um valor alto no começo do dia e, no fechamento da bolsa, estar com um preço abaixo do esperado.

Ou seja, é uma opção de alto risco, mas, com o conhecimento adequado de seu funcionamento, o investidor tem potencial de retorno interessante. Para comprar ações, há três formas:

Fundos de investimentos

Trata-se da reunião de um grupo de investidores que dividem as despesas e receitas geradas pelos investimentos. Cada membro é responsável por uma cota e responsável pela manutenção da aplicação. É preciso nomear um dos participantes que tenha certificação na CVM — Comissão de Valores Mobiliários — para cuidar da parte administrativa e gestora do grupo.

Clubes de investimentos

São grupos menos formais, geralmente compostos por amigos ou familiares. Os clubes podem ter até 60 membros, e não há a necessidade de um gestor com certificação na CVM. No entanto, é preciso haver um responsável para administrar as compras e vendas das ações.

Individualmente

Ainda, há a possibilidade de o titular comprar e vender as próprias ações. Nesse caso, pode-se contar com a ajuda de uma corretora de valores, que fornece acesso à plataforma de negociação pela internet. Por meio dela, é possível gerenciar a conta, consultar custos, comprar e vender as ações.

Debêntures

As debêntures são títulos lançados por empresas de capital aberto ou fechado que precisam captar recursos para seus projetos. Assim, ao comprar uma debênture, você passa a ser credor dessa empresa e receberá juros pelo valor emprestado. As compras são acordadas em termos variáveis de prazos e juros, conforme a companhia.

Nessa modalidade de investimento, o risco de crédito depende da empresa. Desse modo, é fundamental se informar muito bem antes de adquirir as debêntures e prestar atenção nos indicativos de riscos definidos por agências especializadas. Isso porque a empresa solicitante pode não conseguir cumprir com as obrigações feitas no momento da compra.

Investimento imobiliário

Essa modalidade consiste em um dos melhores investimentos. Afinal, é uma alternativa segura, bastante rentável, que apresenta grande diversidade e alta demanda. Desse modo, possibilita a construção de um patrimônio sólido. Há diversas opções de investimento imobiliário, como apresentaremos a seguir.

A compra e venda de terrenos é uma estratégia muito lucrativa, porque tais bens tendem a valorizar de modo mais rápido que as construções. A compra de imóveis na planta e sua posterior revenda também traz alta lucratividade. Seu preço chega a ser até 30% mais barato que o valor de mercado ao final da obra.

Nesses casos, investir em uma excelente decoração valoriza a propriedade, aumentando seu preço de venda. Os imóveis usados também são opções boas. Afinal, há construções que, com apenas uma reforma simples, conseguem aumentar seu valor significativamente. Outra forma bastante atrativa de investir em imóveis é a locação de pontos comerciais, afinal, o contrato de aluguel tende a ser maior que o residencial (que não deixa de ser também vantajosa).

Ainda, há outras modalidades:

  • fundos imobiliários: são grupos de investidores que aplicam seus recursos em imóveis como shoppings, prédios comerciais, condomínios, hotéis. Cada membro recebe um número de cotas conforme o valor investido;
  • títulos de crédito imobiliário: são títulos de renda fixa lançados por bancos para a captação de dinheiro de linhas de crédito imobiliário. Assim, parte dos juros é repassada ao investidor;
  • crowfunding imobiliário: a compra de títulos pode ser feita de maneira segura via internet e sem intermediários. O risco é baixo e a rentabilidade é a mesma dos grandes investidores do setor.

Portanto, investir em imóveis é uma decisão bastante segura e rentável. Entretanto, para garantir o sucesso nessa área, é fundamental contar com o suporte de uma imobiliária de confiança. Afinal, ela tem os profissionais capacitados e com conhecimento de mercado para identificar quais imóveis devem ser negociados e sob quais condições. Além disso, ajuda na burocracia que envolve todo o processo.

Enfim, agora que você já conhece os melhores investimentos, basta encontrar aquele que melhor atenda aos seus objetivos e que combine com o seu perfil de investidor. Com organização, disciplina e atenção, seu patrimônio será aumentado, devido ao crescimento dos seus lucros.

Se você quer saber mais sobre o assunto e o mercado imobiliário, assine nossa newsletter. Assim, você receberá as melhores publicações em sua caixa de entrada!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/blogurbscom/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743